terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aula 3 - Fatores que propiciaram a Revolução Industrial na Inglaterra (23/10/09) PARTE 1

Fala galera, mais uma aula, ou melhor primeira parte de uma aula. A aula de hoje como o título já fala foi sobre os fatores que propicionaram a Revolução Industrial na Inglaterra então vamos.

A revolução na Inglaterra deveu-se a vários fatores, dos quais podemos destacar:

  • Revolução Comercial - As explorações e os estabelecimentos coloniais provocaram uma expansão do comércio, acarretando uma crescente monetarização da economia, ou seja, o uso cada vez mais intenso do dinheiro. Deu origem a uma classe poderosa de "homens de negócios" ligados à exploração das colonias.
    Esta expansão do comércio foi chamada de "Revolução Comercial" e embora seus efeitos sobre a tecnologia não tenham sido imediatos, as atividades no mundo colonial propiciaram capitais, ampliaram mercados de consumo e mostraram, para quem tivesse interesse, que haveria mercado caso a produção fosse aumentada. A expansão comercial abriu um mercado mundial para consumir produtos e fornecer matérias-primas; incentivou a criação de companhias privilegiadas de comércio como forma de organização empresarial, que se tornaram embriões das modernas sociedades anônimas.
  • Contribuições da Revolução Comercial - Os meios pelos quais a Revolução Comercial contribuiu para a Revolução Industrial foram os seguintes:
    1) Incentivou a procura de produtos da indústria britânica;
    2) Deu acesso às matérias-primas indispensáveis às industriais;
    3) Ao comprar produtos das regiões pobres, habilitou-se a consumirem produtos britânicos;
    4) Forneceu excedente econômico para financiar a expansão agrícola e industrial;
    5) A abundância de capitais permitiu que os juros fossem baixos, o que incentivou os investimentos;
    6) Criou estrutura institucional e ética comercial, que se mostraram eficazes na promoção tanto do mercado interno quanto na promoção do mercado externo;
    7) Propiciou o crescimento da urbanização e de centros industriais.
  • Disponibilidade de capitais e juros baixos - De todos os fatores teve bastante importância a oferta de capitais a baixo custo. Quando os juros estão altos, os que possuem capitais não têm interesse em investi-los em empreendimentos de médio e longo prazos cujo retorno seja duvidoso. Preferem fazer circular o dinheiro sob forma de empréstimos, obtendo renda por meio da cobrança de juros. Por sua vez, numa situação de juros baixos há um estímulo ao investimento na produção, esperando-se desta maneira que o retorno do capital empregado seja maior do que a taxa de juros.
  • Progresso científico - "Durante dois séculos ocorrera uma constante acumulação de conhecimento científico, embora pouco uso prático fora feito dele. Entretanto, as pesquisas na área da ciência, lançaram os fundamentos daquilo que, mais tarde, experimentos práticos estariam aptos a construir. De maneira geral, tiveram importância neste contexto a existência de uma atitude indagativa, a valorização da experiência, da observação, e de um comportamento que procurava, de alguma maneira, aplicar os conhecimentos disponíveis para ajudar a resolver problemas do cotidiano."
  • Organização política favorável - As Revoluções Inglesas puseram fim ao Absolutismo. Após 1688 ficou consagrada a fórmula - "o rei reina mas não governa" - ficando o Parlamento com a responsabilidade de dirigir o país. O sistema feudal, de posse de terra, foi sendo aos poucos alterado, garantindo por meio das instituições políticas a estabilidade necessária para que as inovações tecnológicas e o avanço da atividade industrial pudessem se realizar.
  • Poderio político e conômico da Inglaterra - Certas condições foram favoráveis para que a Inglaterra liderasse a Revolução Industrial. Conseguira um mais alto grau de unidade nacional e estabilidade política do que outras nações européias. Embora fosse muito menos populosa que a França, a Inglaterra tornara-se, após bem-sucedidas guerras durante o século XVIII, a maior potência marítima e colonial. Desenvolvera mais do que qualquer outro país uma maior especialização de atividades econômico-financeiras, possuía um sólido sistema bancário e capital em abundância. Os recursos naturais do país, habilitaram-na a ir bem à frente de seus concorrentes, particularmente após a introdução do carvão mineral no lugar do vegetal na fundição do ferro.
    Deve-se acrescentar a tudo isso a situação de extrema instabilidade política que ocorria no continente europeu, devido à Revolução Francesa e às Guerras Napoleônicas, que retardaram mais ainda a industrialização naqueles países.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário